Sites Grátis no Comunidades.net

 Metáfora da Poesia Potiguar









Total de visitas: 32911
Notas de Aula

ESTILÍSTICA

NOTAS DE AULA (16/09/2010)

·         Disciplina voltada para os fenômenos da linguagem, tendo como objeto de estudo o estilo;

·         O estilo pode ser considerado por diferentes pontos de vista:

o   Como desvio da norma

o   Como elaboração

o   Como conotação

o   Como adição

o   Como escolha

o   Como características individuais

o   Como características coletivas

o   Como resultado de relações entre entidades linguísticas

·         Alguns teóricos só consideram o estilo na língua literária;

o   Estilo é:

o   O que é peculiar numa fala (Damaso Alonso)

o   Expectativa frustrada (Jakobson)

o   Surpresa (Jakobson)

o   A transcendência da linguagem do plano intelectual para carrear a emoção e a vontade (Mattoso Câmara)

·         Aparecimento da Estilística: primeira metade do século XX

·         Duas correntes: a estilística da língua e a estilística literária

·         A estilística da língua:

o   Os efeitos expressivos são considerados naturais e evocativos;

o   Afasta-se da literatura;

o   Distinção precisa entre conteúdo lingüístico e conteúdo estilístico

·         A estilística literária:

o   Parte da reflexão psicológica sobre os desvios da linguagem em relação ao uso comum;

o   Criador: Leo Spitzer

o   O estilo do escritor reflete o seu mundo interior a sua vivência

o   Passos de seu método de análise:

§  Ler e reler o autor escolhido (princípio da valoração);

§  Encontrar um traço estilístico significativo;

§  Associar esse pormenor a outros, permitindo a apreensão do princípio criador através dos múltiplos aspectos da obra;

§  Encontrar a intenção do autor (é possível?)

§  Nexo entre estilo e sentimento

·         Erich Auerbach: historiador da cultura, empreendeu uma obra considerada o mais profundo estudo sobre o estilo até hoje;

o   Vincula estilo e ideologia, estilo e concepção da realidade

o   Mimesis: seu objetivo é apreender os vários modos por que a experiência dos homens, histórica, social, moral e religiosa tem sido representada em formas literárias nas várias fases da cultura ocidental;

·         Dâmaso Alonso: toda obra literária encerra um mistério e sua compreensão depende basicamente da intuição (criadora do autor e atualizadora do leitor);

o   Três modos de compreender a obra: leitor comum, leitor crítico e abordagem científica;

o   Como o poema se nos apresenta: sucessões temporais de sons vinculados a um conteúdo espiritual;

·         Para Saussure o poema apresenta significante total e significante parcial.

 


 

AULA Nº 02

ESTILÍSTICA

DEFINIÇÃO

A Estilística estuda os processos de manipulação da linguagem que permitem a quem fala ou escreve sugerir conteúdos emotivos e intuitivos por meio das palavras. Além disso, estabelece princípios capazes de explicar as escolhas particulares feitas por indivíduos e grupos sociais no que se refere ao uso da língua.

TÓPICOS A SEREM ESTUDADOS

 

Denotação e Conotação

Figuras de Linguagem

 

Sobre as Figuras de Linguagem / Classificação das Figuras de Linguagem / Figuras de Palavras I: Metáfora

 

Figuras de Palavras II: Metonímia

 

Figuras de Palavras III: Catacrese, Perífrase, Sinestesia

 

Figuras de Pensamento I: Antítese, Paradoxo, Eufemismo

 

Figuras de Pensamento II: Ironia, Hipérbole, Prosopopeia ou Personificação

 

Figuras de Pensamento III: Apóstrofe, Gradação

 

Figuras de Construção ou Sintáticas I: Elipse, Zeugma, Silepse

 

Figuras de Construção ou Sintáticas II: Polissíndeto / Assíndeto, Pleonasmo, Anáfora, Anacoluto, Hipérbato / Inversão

 

Figuras de Som: Aliteração, Assonância, Onomatopeia

Vícios de Linguagem

 

Vícios de Linguagem I: Pleonasmo Vicioso, Barbarismo, Solecismo

 

Vícios de Linguagem II: Ambiguidade, Cacofonia, Eco, Hiato, Colisão

Funções da Linguagem

 

Funções da Linguagem I: Função Referencial ou Denotativa, Função Expressiva ou Emotiva, Função Apelativa ou Conativa

 

Funções da Linguagem II: Função Poética, Função Fática, Função Metalinguística

 

VARIAÇÃO ESTILÍSTICA: A variação das formas da linguagem sistemática e coerentemente. Uma nação apresenta diversos traços de identificação, e um deles é a língua. Esta pode variar de acordo com alguns fatores, tais como o tempo, o espaço, o nível cultural e a situação em que um indivíduo se manifesta verbalmente. Considera um mesmo indivíduo em diferentes circunstâncias de comunicação: se está em um ambiente familiar, profissional, o grau de intimidade, o tipo de assunto tratado e quem são os receptores. Sem levar em conta as graduações intermediárias, é possível identificar dois limites extremos de estilo: o informal, quando há um mínimo de reflexão do indivíduo sobre as normas lingüísticas, utilizado nas conversações imediatas do cotidiano; e o formal, em que o grau de reflexão é máximo, utilizado em conversações que não são do dia-a-dia e cujo conteúdo é mais elaborado e complexo. Não se deve confundir o estilo formal e informal com língua escrita e falada, pois os dois estilos ocorrem em ambas as formas de comunicação. As diferentes modalidades de variação lingüística não existem isoladamente, havendo um inter-relacionamento entre elas: uma variante geográfica pode ser vista como uma variante social, considerando-se a migração entre regiões do país. Observa-se que o meio rural, por ser menos influenciado pelas mudanças da sociedade, preserva variantes antigas. O conhecimento do padrão de prestígio pode ser fator de mobilidade social para um indivíduo pertencente a uma classe menos favorecida.

CAMACHO, R. (1988). A variação lingüística. In: Subsídios à proposta curricular de Língua Portuguesa para o 1º e 2º graus. Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, p. 29-41.

 


 

NOTAS DE AULA Nº 03

ESTILÍSTICA

1.    A ESTILÍSTICA E A RETÓRICA:

·         A Retórica se ocupou da linguagem para fins persuasivos e artísticos;

·         Por trás dos poemas homéricos há uma longa tradição do cultivo da linguagem;

·         A Retórica, em Atenas, floresceu com os sofistas;

·         Platão censura a Retórica pela possibilidade de uso de técnicas persuasivas para fins desonestos. Para ele, deve haver o primado da sabedoria e da verdade sobre a habilidade verbal;

·         Aristóteles escreve A Retórica (339-338 a.C) discute, analisa e ordena todos os aspectos da arte do discurso;

·         Até chegar a Bally, a crítica tradicional do Ocidente tomava A Retórica e A Poética como pilares;

·         A Retórica é uma técnica de argumentação mais que uma ornamentação;

·         Se o discurso não torna manifesto seu objeto, não cumpre a sua missão;

·         O discurso deve ter ritmo, não metro, para se tornar um poema;

·         Na Poética, Aristóteles trata da conceituação de poesia como imitação da realidade (mimese), dos gêneros poéticos e da elocução poética;

·         Enfatiza o valor da metáfora;

·         Não se detém na classificação pormenorizada das figuras de linguagem;

·         O século XVIII (ROMANTISMO) – obsessão das nomenclaturas, da classificação pela classificação que fazia do texto literário um pretexto para identificação e denominação das figuras, com prejuízo da emoção e do prazer que deveria proporcionar;

·         Anos 60 – revalorização da Retórica por Pierre Guiraud;

·         A Retórica é a Estilística dos antigos;

·         Autores como Barthes, Genette, Jean Cohen, C. Perelman retmoam o estudo da Retórica em obras importantes;

·         O grupo de professores de Liege retomam os estudos da Retórica em nova base científica;

·         J. Dubois e outros propõem-se a estudar a função retórica considerando que essa função implica alterações múltiplas da linguagem, denominando-as “metáboles”. Por metáboles entende-se todos os tipos de alterações de um aspecto qualquer da linguagem: alterações da expressão (significantes) e alterações de conteúdo (significados) a saber: metaplasmos e metataxes, metassememas e metalogismos;

·         A descrição das metáboles se baseia em conceitos operatórios não muito precisos: grau zero, desvio, marca, redundância, autocorreção e invariante;

·         O conjunto dessas operações, tanto as que se desenvolvem no produtor como as que tem lugar no consumidor, produz um efeito estético específico, que é o verdadeiro objeto da comunicação artística.

 


 

 

NOTAS DE AULA Nº 04

ESTILÍSTICA

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES

1.       NOÇÕES DE Retórica são encontradas em Estilística;

2.       O campo de estudo da Estilística é mais amplo que o da Retórica;

3.       Tanto na Estilística da língua quanto na Estilística literária há uma função representativa – referencial – e uma função expressiva que atinge sua intensidade máxima na língua literária;

4.       Ainda não existe um método rigoroso que assegure a sua condição de ciência e nem seu objeto de estudo está satisfatoriamente delimitado;

5.       Segundo Guiraud, “sem ser o objeto nem o fim único da análise estilística, os estudos dos valores expressivos e de seus efeitos é tarefa maior do estilólogo e o ponto de partida indispensável de toda a crítica do estilo.

6.       OBSERVAÇÕES:

·         Ante  toda uma conceitologia de estilo há aquelas que vêm ratificar o conceito dado por Buffon, “o estilo é o homem”. o estilo é bem essa marca individual da experiência realçada por aspectos lingüísticos formais, psicológicos, psicanalíticos, históricos, sociológicos, literários. Por ser inerente ao homem, é, sobretudo, surpresa e expectativa frustrada, como quer Jakobson. Diante de sua obra o homem se surpreende ao perceber ter feito algo grandioso, como pode frustrar-se vendo seus objetivos desviados. No caso da obra literária, esses conceitos atingem também o leitor.

·         Alguns pontos importantes dentro dos comentários feitos por Dâmaso Alonso merecem ser mencionados:

                                                               i.      Sua teoria apresenta pontos em comum com a estética da recepção, no momento em que valoriza o leitor;

                                                             ii.      Vê, como Barthes, a crítica como escritura;

                                                            iii.      Trabalha com os eixos sintagmáticos e paradigmáticos em relação ao problema do significante/significado, divergindo de Saussure;

                                                           iv.      Via a Retórica com caráter prescritivo e a Estilística com caráter descritivo;

                                                             v.      Os valores estilísticos da expressão, quando expressivos, ligam-se a elementos inconscientes, quando impressivos, ligam-se a elementos intencionais e estéticos;

                                                           vi.      Os efeitos naturais ligam-se ao pensamento; os evocativos, à situação;

 



NOTAS DE AULA Nº 05

1.       PARA REFLEXÃO ESCRITA:

·         Por que é tão difícil conceituar estilo e Estilística?

·         Escolha uma definição de estilo e comente;

·         A concepção de Charles Bally para os estudos da Estilística é redutora. Em que sentido? Comente:

·         Estabeleça distinção entre Estilística da Língua e Estilística Literária, citando seus principais seguidores;

·         Que relações podem ser estabelecidas, pela função poética criada por Jakobson, entre a análise da Estilística da Língua e da Estilística Literária?

·         As concepções de Dâmaso Alonso se voltam mais para a Estilística Literária. Comente essa posição.

 

 




Criar um Site Grátis   |   Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net